Trabalhador possui direito à Aposentadoria Especial por exposição a ruídos, acima de 85 decibéis

O TRF4 condenou o INSS a pagar o benefício especial para trabalhador exposto a ruídos, segundo norma vigente na época.

O TRF4 determinou a implementação de aposentadoria especial a um trabalhador que sofreu exposição a ruídos que ultrapassaram os limites aceitáveis de 85Db estabelecidos pelo decreto nº 4.882, que entrou em vigência à partir do ano de 2013. O trabalho exposto aos ruídos é muito frequente na área industrial, e pode ocasionar a surdez profissional. Em consequência disso, o trabalhador que sofre essa exposição possui direito ao Benefício Especial do INSS.

Após comprovar adequadamente tal exposição, o segurado teve seu processo aprovado pela justiça. Para efeitos de aposentadoria especial, a aferição de ruídos é feita pela técnica “Nível de Exposição Normalizado (NEN)”. Uma média moderada é criada considerando o período de exposição e o volume de ruído durante o período de trabalho.
Mesmo com o uso do Equipamento de Proteção Individual (EPI) o judiciário é compreensivo na questão de que seu uso não descaracteriza os riscos e danos à saúde provenientes dos ruídos.

Porém, o NEN muitas vezes é inviável. Devido a ausência desse dado, é preciso que o julgador resolva a constatação em perícia técnica feita em audiência. O critério utilizado será o nível máximo de ruído. Proporcionando assim, mais segurança e confiabilidade de informações ao segurado.

Confira a decisão judicial na íntegra CLICANDO AQUI!

mande-sua-duvida-whatsapp

COMPARTILHAR:

POSTS RELACIONADOS

Comente

Seu e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *